Estratégias alocação do patrimônio


Há algum tempo eu decidi adotar uma estratégia de diversificação do patrimônio. Essa ideia de alocação do patrimônio surgiu com o intuito de minimar riscos e potencializar ganhos.

No meu caso era algo que eu precisava trabalhar, pois estava totalmente exposto na renda variável e precisava diversificar para mitigar os riscos.

A questão é que existem inúmeras maneiras de diversificar os investimentos: ações, FIIs, CDB, LCI, LCA, fundos, títulos, debêntures, ouro, dólar, Bitcoin, poupança, e por aí vai.

Qual estratégia adotar para diversificar meu patrimônio?


Essa é uma questão difícil de responder, pois a diversificação depende muito do perfil de investimentos de cada um. Sem falar que existem inúmeras estratégias de alocação de ativos/investimentos. 

Um investidor conservador por exemplo dificilmente vai expor uma parcela significativa do seu capital ao mercado de renda variável.

Na ponta contrária, o investidor agressivo ou especulador dificilmente aportará uma parcela significativa do seu capital em renda fixa.

O que eu posso falar é a estratégia que adotei e que passou a me dar noites mais tranquilas de sono. 

Eu era um investidor focado 100% em renda variável. Na ânsia de alavancar patrimônio, adotei essa estratégia quando comecei a investir e segui à risca por longos anos. 

Ocorre que chegou em um ponto que o estresse e o fator emocional passaram a pesar demais nas decisões. Tirando o imóvel e o carro o resto do patrimônio era 100% renda variável. 
A gota d'água foi uma perda que me fez repensar na estratégia e rever essa posição de ficar exposto em 100% na renda variável. 


Qual a minha estratégia atual


Hoje, tirando o imóvel e o carro, consegui montar uma estratégia de diversificação que ficou boa para o meu perfil. 

Ainda tenho muito a trabalhar, como investir em FIIs ou outras formas de melhorar a renda passiva. Todavia, depois que adotei uma estratégia de diversificação ganhei uma margem de segurança muito boa para enfrentar eventuais perdas na renda variável.

A tabela abaixo representa meus objetivos e quanto está alocado em cada rubrica:

Tipo de investimento Objetivo Atual
Renda variável Brasil40% 48%
Renda variável Exterior 20% 7%
Renda Fixa 20% 25%
Títulos Públicos 10% 4%
Renda fixa com liquidez diária 10% 0%
Poupança 0% 16%

Obviamente, a situação pode mudar ao longo do tempo. A princípio, a minha necessidade atual é migrar os valores alocados em poupança para uma renda fixa de liquidez diária. 

Esse valor eu deixo como uma margem de segurança no caso de aparecer alguma oportunidade ou necessidade.

Ao longo do tempo a ideia é ajustar os valores para aumentar a alocação no exterior e diminuir a exposição aqui.

Como eu disse anteriormente, eu estava exposto em 100% na renda variável e essa foi a estratégia que eu adotei para os meus investimentos.

E vocês, estão satisfeitos com o sistema de alocação de vocês? Compartilhem suas estratégias!



Disclaimer:

O conteúdo deste post não se trata de recomendação, indicação e/ou aconselhamento de investimento, sendo única e exclusiva responsabilidade do investidor a tomada de decisão.


4 comentários:

  1. Bom texto, o blog é legal. Mas essas letras vagabundas de pixador, não caem bem - opinião pessoal evidentemente - teste outros layouts esse não é chamativo e está afastando leitores, por ser esteticamente pouco agradável.

    Fui....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela dica Anon. Vou avaliar uma alteração.

      Excluir
  2. Muito bom texto! Realmente é um dilema grande a alocação de recursos. Sempre corremos o risco de algum viés de convicção sobrepor estudos e cenários desenvolvidos.
    Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. De fato Janota. Mas o mais importante é saber reconhecer as necessidades do seu perfil e depois montar a alocação. E claro, saber mudar quando o cenário econômico ou político influenciar demais. Abraço,

      Excluir

Comente aqui.

Abaixo você encontra os posts mais recentes da blogosfera financeira