A bolsa está cara?!

Fala galera!

Afinal, a Bolsa está cara ou não?!

Quem está com alta exposição em renda variável está rindo à toa, afinal IBOV está renovando topo todo dia, praticamente. 

Quem já vivenciou épocas sombrias, como outubro/2008, já está com a pulga atrás da orelha. 

Já vi diversas postagens de amigos blogueiros que também estão com essa desconfiança como a minha. 


Eu sou da turma que preço importa sim. Estou tentando mudar isso com os investimentos no exterior, mas não adianta, a metodologia de investimento que criei após a crise de 2008 foi de buscar a relação preço e oportunidade. 

Se eu acho que um ativo está caro, prefiro não entrar, pois sai da minha zona de conforto. E isso já está causando dificuldades para encontrar papeis baratos na Bolsa, afinal tudo subiu bastante. 

Mas voltando ao assunto de hoje, será que está tudo tão caro? Afinal IBOV está renovando seu topo histórico.

Dando uma pesquisada em portais de investimentos deparei-me com um postagem que chamou minha atenção e levanta um ponto interessante. E se a metodologia do IBOVESPA fosse diferente?

Para contextualizar o que estou falando vou deixar o link aqui, com o estudo feito por um forista do Portal do Trader que achei bem interessante: 

https://forum.portaldotrader.com.br/topic/1205/ser%C3%A1-que-o-ibovespa-ainda-n%C3%A3o-rompeu-o-topo-de-maio-de-2008 

Nesse estudo, o forista pegou a atual composição do Ibovespa e replicou as participações na carteira teórica de 2008 e atualizou até 07/08/2017. Segundo o estudo realizado por ele, se a atual composição do Ibovespa tivesse sido montada lá em 2008 e permanecesse assim até hoje, teríamos um IBOVESPA acima de 180.000 pontos. 

Por que isso ocorre? 

Como o objetivo do Ibovespa é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro, ele muda a cada quadrimestre. 

Ou seja, o índice é dinâmico e os papeis e pesos são alterados a cada quadrimestre, seguindo critérios pré-definidos no MANUAL DE DEFINIÇÕES E PROCEDIMENTOS DOS ÍNDICES DA BM&FBOVESPA, disponível a partir deste link: http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/produtos/indices/indices-amplos/indice-bovespa-ibovespa.htm

Por outro lado...

Imaginem se ao invés de todo quadrimestre entrar e sair papel, a composição fosse a mesma de 2008, excluídas as empresas que fecharam o capital? 

Certamente não estaríamos no topo histórico.

Por curiosidade, fui buscar em meus arquivos guardados um print screen  que guardei do dia 06/10/2008. Nesse dia o segundo circuit breaker estava sendo acionado após IBOV cair 15% no intraday, atingindo 37.814,44. 


Clique na imagem para ampliar

Detalhe que a mínima de 2008 foi em 27/10:  29.435,11.

Abaixo elaborei uma planilha com as cotações da época e a cotação atual e os respectivos pesos nos papéis para a composição do índice: 



06/10/08
Participação na composição do Ibovespa (Posição de agosto de 2008)
08/10/17
Participação na composição do Ibovespa
IBOV
37.814,44

76.054,72

PETR4
R$ 25,14
14,12%
R$ 15,69
5,17%
VALE5
R$ 23,50
12,77%
R$ 29,64
0,00%
GGBR4
R$ 14,90
2,59%
R$ 10,76
0,85%
CSNA3
R$ 26,35
2,77%
R$ 10,25
0,49%
BBDC4
R$ 22,59
3,84%
R$ 36,31
8,50%
ELET6
R$ 20,90
1,06%
R$ 24,15
0,43%
USIM5
R$ 28,00
3,06%
R$ 9,35
0,38%
BVMF3
R$ 6,15
0,00%
R$ 23,75
3,86%


Como podemos ver, na época, Vale e Petrobrás eram responsáveis por 32% da composição do Ibovespa. Todavia, hoje, não representam nem 17% da carteira teórica IBOVESPA. 

Também podemos observar que alguns papeis ainda não recuperaram a cotação da época. Por outro lado, perderam participação significativa na composição do Ibovespa.

Certamente se Petrobrás, Usiminas, Gerdau, CSN e outras que não estão acima, ainda pesassem tanto para a composição do Ibovespa, não teríamos rompido o topo histórico. 

Por outro lado, se pegássemos a atual composição e replicasse lá em 2008, de lá para cá estaríamos em níveis muito superiores ao atual, conforme estudo do forista do Portal do Trader demonstra. 

Isso porque papeis que valorizaram muito tem maior exposição na atual carteira teórica do Ibovespa: 


ITUB4
11,13%
BBDC4
8,51%
VALE3
7,70%
ABEV3
7,10%
PETR4
5,17%
BVMF3
3,86%
PETR3
3,54%
ITSA4
3,49%
BBAS3
3,26%
BRFS3
2,95%
UGPA3
2,52%

Assim como o colega forista, o objetivo da postagem não é questionar a metodologia de composição e cálculo do Ibovespa, mas sim, refletir e analisar toda essa valorização sob diferentes perspectivas. 

Peguemos por exemplo o Índice Dow Jones. 

Criado em 1896 é um dos principais indicadores do mercado americano e é composto pela média ponderada de 30 empresas blue-chip dos seguintes setores:




Nesse link tem um texto que explica como funciona o cálculo: http://www.portugues.spindices.com/documents/additional-material/spdji-how-the-dow-works-por.pdf?force_download=true

Ao longo de sua existência, o DJIA tambem passou por inúmeras alterações, afinal, são mais de 120 anos de existência. Entretanto, essas alterações nem se comparam com o entra e sai que acontece no Ibovespa.

Da composição original, que eram apenas 12 empresas, ainda continua até hoje a GE - General Eletric; veja que estamos falando de 120 anos. 

Para se ter uma ideia, a última alteração efetuada no DJIA foi em 2013, há 4 anos, quando entraram Goldman Sachs, Visa e Nike no lugar de HP, Bank Of America e Alcoa. 

Enfim, são metodologias bem diferentes, com propósitos e objetivos diferentes, mas que nos ajudam a visualizar a evolução de cada mercado. 

Dito tudo isso, o que você acha: IBOV está caro ou barato? 




Referências: 

http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/produtos/indices/indices-amplos/indice-bovespa-ibovespa.htm

http://www.spindices.com/indices/equity/dow-jones-industrial-average/

https://forum.portaldotrader.com.br/topic/1205/ser%C3%A1-que-o-ibovespa-ainda-n%C3%A3o-rompeu-o-topo-de-maio-de-2008 

https://www.cnbc.com/2014/07/02/history-of-dow-30.html

Disclaimer: As informações acima devem apenas servir de parâmetro para estudo e a decisão de investir ou não deve ser tomada mediante as análises pessoais de cada um, seja através de análise técnica ou análise fundamentalista.

30 comentários:

  1. Sinceramente não sei se o IBOVESPA esta caro, mas por via das duvidas gosto de deixar um dinheiro para as oportunidade em Renda fixa pós-fixada, e também só comprar o que acho que o preço ainda não esta alto demais e que tem uma margem de segurança

    Abraço e bons investimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala DIL. Pois é, também estou com uma reserva esperando aparecer alguma oportunidade. Estou pensando seriamente em mandar lá pro exterior. Abraço!

      Excluir
  2. Ola Fin,
    estou engatinhando em um novo projeto que pode interessar aos colegas da finasfera. Se interessar:
    https://meusmelhoresinvestimentos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Olá FB,
    Eu não tenho uma resposta e também acho que ninguém tem.

    Como eu não invisto em índice eu não preocupo com isso. Sendo que muitas empresas que estão males das pernas fazem parte.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cowboy, respeito a sua opinião e sim, muitas empresas poderiam estar de fora do índice. De todo modo, ele é um indicador importante que move o mercado, independentemente de você investir em índice, suas variações, salvo algumas exceções, influenciam em uma boa gama de empresas. Abraço!

      Excluir
  4. Excelente post Finansfera!

    Dizem que perante a inflação o Ibovespa ainda está barato. Porém devido a 2008 também estou cauteloso hehe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Inglês. Pois é, 2008 deixou muitas marcas, assim como muitas oportunidades. Abraços!

      Excluir
  5. Nao está barata. Defina CARO.
    Está caro aquilele ativo q distorce dos fundamentos da empresa.
    Pegue isoladamente cada empresa do indice e verifique se o valor do ativo corresponde com os numeros da empresa. Simples.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Mineiro, o caro para mim pode não ser para você. Vai da perspectiva de cada um, por isso o post. Analisar sob diferentes olhares, que no seu caso é sob a ótica fundamentalista. Particularmente gosto de mesclar fundamentos e gráficos e analisar conjuntamente os papeis. Abraço!

      Excluir
  6. Com a quantidade de empresas terríveis que figuram no Ibovespa, ele sempre esteve caro pra mim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí IW. Acredito que no passado era pior. Ao longo dos anos os critérios mudaram bastante. No passado, quase que Mundial (MNDL3) entrou no índice, pelo volume de negócios no período especulativo que movimentou o papel, sem falar em OGX... Abraço!

      Excluir
  7. Desculpe
    Não está barata = não está cara (é que depois eu refiz o comentario)
    Abraco e sucesso

    ResponderExcluir
  8. De qualquer jeito em continuar comprando ações de boas empresas, ao longo prazo creio vou sair ganhando rsrsrs... pelo menos eu espero ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a ideia Socrates, mas afirmar isso com certeza é difícil em se tratando de renda variável. Abraço!

      Excluir
  9. Eu não acho que esteja barato, mas caro definitivamente não está.
    O CAPE do Brasil está 12,4 (http://www.starcapital.de/research/stockmarketvaluation), enquanto que o mercado americano está 29. Além disso, o mercado local é muito dependente do fluxo de capital estrangeiro.
    Desta forma, sob a perspectiva de um estrangeiro o mercado brasileiro ainda está barato. Outro ponto é que o Brasil possui apenas 8% na composição do MSCI Emergings Markets Index (https://www.msci.com/documents/10199/c0db0a48-01f2-4ba9-ad01-226fd5678111) onde um mero aumento desse percentual irá gerar um fluxo estrangeiro maior para a bolsa brasileira.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente comentário Aportador. De fato você expôs um ponto muito interessante: a presença do investidor estrangeiro no Brasil, pois é ele que movimenta nossa Bolsa. A questão é... com toda corrupção, escândalos, e a dificuldade de colocar o Brasil nos trilhos, até quando teremos um fluxo comprador? Nesse link dá para se ter uma ideia da força do capital estrangeiro: http://www.bolsafinanceira.com/fluxo-de-capital. Abraço!

      Excluir
  10. A resposta como sempre é: depende. haha
    Eu acho que está caro, por uma série de razões que já comentei bastante no meu blog e não vou desenvolver aqui. Mas, reconheço primeiramente que tem empresas ainda com preços convidativos. E o principal. Ainda tem muito fluxo tanto estrangeiro quanto de renda fixa pra ir pra bolsa. Selic em mínima histórica não tem jeito. O capital tem que espirrar pra algum lugar. Eu tenho um pessimismo muito grande com a eleição, mas se passarmos por ela sem soluços, realmente tem muito espaço ai para o IBOV.
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem colocado ED. Você tocou em uma questão nevrálgica: eleições. Com certeza as pesquisas movimentarão o mercado, principalmente se Lula continuar avançando nas pesquisas e não for condenado em 2º grau. Por outro lado, com Lula fora do páreo, Bolsonaro pode tomar a frente, e isso pode ser ruim para Bolsa pois ele tem muitas restrições quanto ao capital estrangeiro. Enfim, nos resta esperar cenas dos próximos capítulos. Abraço!

      Excluir
  11. Boa reflexão Finansfera!

    A gente ouve de todo lado que a "bolsa está cara" mas é preciso ter cuidado com essas generalizações. Como você abordou, olhar apenas o índice bovespa talvez forneça uma visão míope do mercado.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade é preciso uma visão macro e ampla do mercado. Como bem citado pelo Aportador e pelo Economia dos Dividendos, dois fatores externos que guiarão o mercado nos próximos meses: capital estrangeiro e eleições. Abraço!

      Excluir
  12. Bom Post Finansfera! Estou acompanhando o seu blog. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Ephodiom. Acabei te de adicionar. Abraço!

      Excluir
  13. Como já mencionaram aqui em cima, há muitos analistas interpretando que a bolsa ainda não está cara, se corrigirmos a inflação ou se considerarmos o valor em dólares. Há quem afirme, ainda, que a transição de investidores brasileiros da RF para RV também tende a ampliar o fluxo da bolsa, em adição aos estrangeiros.

    Pode ser uma conclusão simplista, mas creio que haja espaço para o crescimento, desde que toda a expectativa de recuperação da economia efetivamente se consolide.

    Caso iniciarmos o primeiro trimestre de 2018 patinando como estamos hoje, caso o Lula possa efetivamente concorrer, e caso a reforma da previdência não vá adiante, poderemos ter vetores perigosos para essa elevação do índice.

    Abraço do DM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Mascada, são muitos vetores, tanto para um lado como para o outro. Por via das dúvidas, mandarei a grana dos aportes para o exterior. Abraço.

      Excluir

Comente aqui.

Abaixo você encontra os posts mais recentes da blogosfera financeira