Carro - um vilão necessário

Pelo menos no meu caso, ter um carro é um mal necessário. Isso é algo que pretendo trabalhar e melhorar, afinal há um consenso de que carro não é um ativo, mas um passivo que custa caro e deprecia. 

 Carro - um vilão necessário?
Fonte: https://autogaragem.wordpress.com/2013/03/21/personagem-da-semana-dick-vigarista/

Basta uma lida rápida pela blogosfera gringa que você vai notar que há uma unanimidade entre os blogueiros acerca da ideia que o carro é um retardador na busca pela independência financeira. Aliás, muitos blogueiros são adeptos de outros meios de transporte ou são unânimes: precisa de carro, vá de usado, preze pelo custo-benefício. 

Não vou fazer contas aqui, afinal, já há vários posts nesse sentido, mas se você quiser adotar um estilo radical na busca pela IF, substituir o carro por outro meio de transporte é algo que vai render-lhe uma boa economia.

Aqui, em terras tupiniquinis, muitos blogueiros já abordaram esse tema sob essa mesma ótica.

Como no passado eu não conhecia nem 1% dos blogs de finanças que acompanho hoje, e ao longo dessa jornada fiz muitas coisas que poderia ter evitado. 

O 1º erro que cometi foi financiar o primeiro carro. Somos iludidos que para ter status é preciso ter carro e blá blá blá. E assim, sem dinheiro, somos instigados a comprar carro sem ter dinheiro algum, basta coragem e um boleto para pagar em 60 vezes arcando com generosos juros à financeira. 

Fera todo feliz andando em seu possante novo financiado. Imagem: Jim Carrey em cena de 'Debi & Loide'

Felizmente, em menos de 2 anos quitei o carro. Todavia, isso levou ao 2º erro: trocar de carro. E esse foi um erro contumaz, pois a cada dois a três anos fui trocando de carro. Naquela época, confesso que eu estava cego pela matrix e o importante era o status de andar de carro novo. Enfim, joguei muito dinheiro fora com a desvalorização que tive a cada troca. 

Isso perdurou até uns 4 a 5 anos atrás, quando comprei meu último veículo o qual estou até hoje. Como não podia ser, mais um erro: comprei o carro pelo conforto e segurança, sem me ater à questão de desvalorização, valor alto do seguro e custo de manutenção.

Hoje, não tenho a intenção de mudar de carro e a ideia é mante-lo até atingir a IF.

Por mais que os custos pesem e possam fazer diferença no longo prazo, a verdade é que nosso país não oferece o transporte público necessário para a população se locomover. 

Basta uma viagem para qualquer país de 1º mundo para você passar raiva de viver aqui. À exceção de algumas poucas capitais brasileiras, somos totalmente deficitários em termos de transporte, o que nos faz refém de um veículo. 

Lembro de um show que fui na capital Catalã. Em um primeiro momento, havia planejado ir de táxi. Porém, enquanto estava no metrô, vi a notícia de que estavam disponibilizando uma linha especial de ônibus partindo de uma praça, onde havia um ponto de metrô, até o estádio onde ia ser o show. Detalhe: podia usar o mesmo bilhete do metrô que custa algo em torno de 1 euro, para pegar o ônibus até o show. 

Mas o que mais surpreendeu foi a saída do show. Milhares de pessoas saindo ao mesmo tempo. Um fila gigantesca logo se formou e os ônibus que estavam ali lotaram e saíram. Assim, como as outras pessoas, fiquei ali esperando uns 10 minutos (se fosse no Brasil, nessa hora estaria rezando para não ser vítima de um arrastão). Os ônibus então retornam e todos que estavam na fila aguardando no seu lugar, sem desespero, tomam assento. Mais 10 minutos e estamos no metrô. Quando no Brasil poderemos desfrutar de um serviço assim? 

Nossa situação por aqui...

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-10-08/onibus-lotado-terminal-pinheiros.html

Aliás, se você vai viajar para Europa, por exemplo, esqueça a ideia de alugar carro, a não ser que você queira fazer um tour pelo interior e curtir a paisagem do seu modo. As grandes cidades são servidas por um excelente sistema de transporte público integrado, contando com metrô, ônibus, trens elétricos, bondes, teleféricos e por aí vai. E a grande maioria oferece tickets integrados para utilizar entre os diversos serviços de transporte público. 


Nossa situação aqui no Brasil


Fonte: https://memegenerator.net/instance/50895525/esqueleto-esperandos-na-estao-esperando-o-metr-de-salvador-chegar
Sem falar na opção de andar de trem para se locomover entre as cidades a um valor muito baixo. Por 10/15 euros é possível você fazer uma viagem de trem-bala e curtir um bate-volta em alguma cidade turística a partir de qualquer capital. 

Enquanto isso no Brasil, isso é o mais perto que você vai chegar de um "trem".

Imagem fonte: https://www.penaestrada.blog.br/maria-fumaca-de-tiradentes/

Dessa forma, se você for morar em uma grande cidade europeia, tenha certeza que você só vai ter um carro por extravagância, pois não vai ser por necessidade.

Todavia, essa não é minha realidade no Brasil, pois na cidade que vivo, mal funciona o transporte através de ônibus e os horários não ajudam muito. 

Uma opção saudável seria adotar a bike como meio de transporte, todavia, não temos opções de ciclovias, não há respeito ao ciclista, de forma que está constantemente exposto a sofrer um acidente, tampouco há opções de bicicletário ou vestiários para trocar de roupa. 

Assim, o automóvel ainda mostra-se imprescindível no meu dia-a-dia. 

E no seu? Já conseguiu dar esse grande passo e abandonar o automóvel como meio de transporte? 


36 comentários:

  1. Para muitas pessoas para é uma necessidade.

    Mas podemos usar algumas dicas que nos economizam muito dinheiro, como:

    -Comprar o carro usado mas em bom estado

    -comprar um carro a vista

    -Comprar carro econômico de gasolina e de manutenção

    -ficar com o carro muitos anos sem trocar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade DIL. Hoje se eu fizer uma análise nua e crua vejo que errei muito. Poderia até trocar o carro para um que custasse menos manutenção e fosse mais econômico, mas toda a desvalorização que tive não compensa. Então, o melhor a fazer é mantê-lo por muitos mais anos. Abraço!

      Excluir
  2. Eu amo carros. Cometi os dois primeiros erros do Finansferas! Ah se eu pudesse voltar atrás... Bom, o que passou, passou!
    Hoje opto por manter um bom carro (confortável e com bom desempenho) por muito tempo. Com isso, você reduz bastante o preju e ainda consegue ter conforto,prazer e segurança!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz exatamente igual você e o Finansfera! Se pudesse voltar atrás...

      O que mais me arrependo é de não ter pego logo o carro que eu queria. Ficar pulando de modelo em modelo só aumenta o prejuízo. Infelizmente, eu peguei o carro sonhado mas não suportei os custos de manutenção. Dai acabei trocando novamente... :(

      Perdi uma boa grana, mas eu curto carros e sinceramente continuarei a perder. Mas hoje a perda será consciente hehe

      Excluir
    2. Pelo visto não fui o único. De fato, o tempo passou e agora a ideia é manter o mesmo carro por um bom tempo. Abraços!

      Excluir
    3. "O que mais me arrependo é de não ter pego logo o carro que eu queria."

      Amigo, me desculpe, mas essa máxima ai é mais uma das fálacias que mostram que você parece ainda não está 100% consciente sobre o assunto.
      O mercado e o meio que vivemos fazem com que "carro desejado" sempre esteja em constante mudança. Não adianta ter pego o "carro dos sonhos", em 3-6 meses você já vai ve-lo com outros olhos e se imaginar dentro de outro. Essa é a corrida dos ratos em sua pura e simples descrição.

      Att,
      ALEMMAR.

      Excluir
  3. Olá Finansfera,

    Eu conseguir me livrar do carro. Hoje só uso metrô e Uber (e similares).
    Moro num local que dá para usar esses serviços com tranquilidade.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que beleza Cowboy. Cara, até poderia usar Uber e tal, mas fazendo a conta e levando em conta o quesito conforto e tal, cheguei à conclusão que não compensa. Se para o dia a dia eu tivesse transporte público de qualidade a história seria diferente. Mas depender apenas de Uber ou táxi não rola. Melhor manter o carro. Abraço!

      Excluir
  4. Um mal necessário depois que ele for 10% do patrimonio. Simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas a maioria não pensa assim Anon, acredito que você seja exceção. Quantas pessoas você conhece que ao fazerem 18 anos, a primeira coisa é tirar carteira e comprar carro? não necessariamente nessa ordem... Abraço!

      Excluir
  5. Fala Finansferas,

    A pouco fiz um post sobre comprar meu carro aqui e até agora estou postergando, pois nao tenho necessidade aqui e consigo economizar. Provavelmente mais pra frente vou comprar, mas nao agora, quero abrir uma margem grande investido antes de gastar com veiculo. Quando morava no Brasil fiz os mesmos erros que voce, financiar, trocar de carro, e perdi bastante dinheiro tambem, mas quando é jovem erramos e é com os erros que se aprende.

    Abraços do BnA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí BnA, todavia, considerando o quesito custo-oportunidade tendo em vista o seu post, talvez para você seja diferente tendo em vista preços e custos. Enfim, de todo modo eu aguardaria o pé de meia ficar mais cheio para comprar. Abraço!

      Excluir
  6. Respostas
    1. E aí Galo, então... a não ser que as finanças de vocês sejam individualizadas, não vejo muita vantagem. Abraço!

      Excluir
  7. O pior dos mundos são jovens sem patrimônio, sem reserva financeira, ganhando pouco, financiando carros a longo prazo. Algo muito comum no Brasil.
    Quando entrei no emprego que estou até hoje, a primeira coisa que um ex colega de faculdade me sugeriu foi comprar uma carro (Na época eu não tinha porra nenhuma), mas esse é o pensamento padrão.

    Outro ponto negativo é imobilizar dinheiro em um carro e com isso perder a liquidez necessária para boas oportunidade de investimento.

    Não tenho carro e sou aportador, porém vejo que no máximo ano que vem terei que comprar um.
    Nesse país ter mais que 25 anos ou até mesmo menos com razoável condição financeira e não ter carro é uma espécie de atestado de fracasso. Pedir pra ser visto por alguns como um bosta, sei disso e sempre levei isso da melhor forma, mas vai chegando o momento que isso pode ir enchendo o saco.
    Se vive muito de aparência, um cara com carro, porém completamente falido se sai melhor em algumas situações que um postulante a IF sem carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente comentário Anon, é isso aí mesmo. Quantos fracassados que você vê por aí andando de carro alienado e arrotando riqueza? Infelizmente isso é muito cultuado. Quisera eu ter tido essa sua visão e sacada desde cedo. Com certeza teria antecipado anos de acumulação, pois o mais difícil para quem busca a If é o início da acumulação, depois os juros vão fazendo o trabalho. Abraço!

      Excluir
  8. Depende de que carro você compra. Não tem erro. Paliozinho até ano 2003 com ar direção hidráulica e GNV. Manutenção e peça barata.
    Se garimpar e comprar direto com o dono ,consegue comprar por uns 11 mil. Sai mais barato do que andar de uber

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que a conta fique muito próxima ISN, todavia, o carro te proporciona liberdade e conforto. A questão é: e se tivéssemos transporte público de qualidade? Acho que aí não há como comparar. Abraço!

      Excluir
  9. Finansfera!! Poupamos para ter conforto também, aqui no Brasil é quase inviável não depender de um carro. Já usei transporte e me coletivo e me sentia uma sardinha. Para minimizar os gastos, basta ficar muitos anos com o mesmo carro, comprar a vista, não comprar carro por status e sim por custo beneficio. abraço..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Beto, é por aí mesmo. Eqto dependermos do carro como meio de transporte, o negócio é buscar o melhor custo benefício. Abraço!

      Excluir
  10. Eae Finans, pois é companheiro, já tive um carro esportivo que após alguns anos contabilizei mais de 110k perdidos desde desvalorização, seguro, imposto, manutenções, etc. Agora ando em carro usado, popular, mas pretendo vender e andar de moto, pois me sinto triste com os gastos do carro ante a economia da moto.
    O ruim é que trabalho em um município distante do qual resido e o deslocamento diário somado supera o montante de 2000km mês, triste enfrentar isso de motoca, kkkk.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Lorde, acho que se eu somar tudo que perdi ao longo dos anos com desvalorização, seguros, manutenção deve chegar próximo aos 100k... É um preço caro que custou uns anos na luta pela IF. Abs!

      Excluir
  11. Fala Finansfera! Eu também cometi o seu primeiro erro, entretanto quando troquei fiz um esquema melhor, peguei um consorcio ja com um lance que fui contemplado, e desde então estou com o mesmo carro. Para mim também é necessário, não dá para ficar sem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí RC. Pelo visto muitos cometeram esse erro e fica como aprendizado né. Abraço!

      Excluir
  12. Cara,

    Isso é um gasto que eu penso todo santo mês em liquidar. Meu custo ano passado foi de 10k com o carro, incluindo todos os custos atrelados a ele (combustível, seguro, ipva, manutenção, multa, etc etc). Esse ano acho que chega nos 12k. Po, 1k/mês de Uber você é patrão. O problema é o conforto que se perde. Não moro perto de metrô, por exemplo. O que me segura com o carro é: vale a pena perder a liberdade e o conforto por causa de 100, 200 reais mensais?

    Acho que o ideal mesmo seria vender o carro e comprar uma moto. Faz o rotineiro na moto e pra quando quiser mais "tranquilidade", vai de Uber. O que falta é coragem! rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também já fiz muitas contas Enriquecendo e cheguei à conclusão que sem dispor de um sistema publico de transporte que funcione, não rola ficar sem carro, talvez se um dia conseguir morar na Europa, aí sim vou tentar cortar esse custo! Mas é difícil mesmo! Abraço!

      Excluir
  13. Fala Finasfera, cara meus ultimos carros sempre comprei a vista, são carros médios, com ar, direção e blá, blá, blá.

    Inclusive meu ultimo carro foi adquirido em Leilão, um desconto de 6, 7 mil do valor de mercado, não me vejo sem carro, mas se é prá ter é o mais economico e viável possível, nada de ter carro de 70 mil na mão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Stifler, leilão é uma boa msm, pois se VC pega uma barbada, pelo menos qdo revender não perde muito. Abraço!

      Excluir
  14. Carro é um negócio complicado. minha vida seria bem melhor com um, pois moro bem longe do trabalho. Mas, pra quem gostar de fazer muita conta de custo-benefício é duro de achar vantagem em ter carro haha tem que se esforçar muito, ainda mais com o advento de uber etc.

    Não uso uber para ir ao trabalho, mas um dia simulei o custo de ir e vir de uber (lembrando que eu moro longe) e o custo de comprar um carro popular a vista + gasolina, manutenção e etc. Dá pra ficar mais de 2 anos andando de uber até o custo se igualar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala ED, essa questão de carro próprio ou Uber é bem relativa mesmo e varia bastante de pessoa pra pessoa. No meu caso, não vi muita vantagem, por isso manterei o carro, principalmente por uma questão de praticidade e conforto. Abs!

      Excluir
  15. Já tive um carro popular. Vendi 2 anos após a aquisição. Até que não gastava muito, algo em torno de R$ 800,00/mês rsrsrs!

    Não me arrependo de viver sem, e agora com Uber e o metrô que foi implantado recentemente na região que moro, ficou muito rápido e fácil o descolocamento até o trabalho. Gasto bem menos que gastaria apenas com o estacionamento, caso tivesse um carro.

    Fiz as contas este mês, para o caso de aquisição de um veículo, no caro, um Corola ou Honda Fit, as despesas mensais ficariam próximas de R$ 1.100,00 / mês!Se não pagar estacionamento cai para R$ 900,00. Se eu aplicar este valor todo o mês, posso chegar a 1 milhão de reais dentro de 3 anos! E é o que estou buscando.

    Boa sorte a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No seu caso o metro com ctza é uma mao na roda. Se eu tivesse tal sistema à disposição com ctza poderia rever o uso do carro. De fato, esse valor vai te auxiliar na busca do milhão, mas para 3 anos o aporte terá que ser mais generoso. Abraço!

      Excluir
  16. Esse é o problema no Brasil, a falta de infraestrutura dos transportes públicos e do outro a carga tributária sob o preço dos veículos. Literalmente é um mal necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Aloísio, estamos em um beco sem saída. Abraço!

      Excluir
  17. Na Europa e EUA, o dinheiro que é pago em imposto é retornado para a população. Essa é a diferença, não sou a favor de muitos impostos, mas já que paga que tenha retorno. Dinheiro bom é dinheiro que gera valor, não gasto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Seja Rico, já que em tudo mesmo há imposto, que pelo menos retornasse à população. O problema é pagar e saber que esse dinheiro vai alimentar a corrupção. Abs!

      Excluir

Comente aqui.

Abaixo você encontra os posts mais recentes da blogosfera financeira