Aportando mais de 50% do salário

E aí pessoal, tudo tranquilo? 

Final de ano chegando, época de fazer o balanço do ano e planejar novas metas. 

No meu caso, a principal meta agora é tentar manter um alto aporte durante um período de 2 a 3 anos de acumulação. Após isso, pelos meus cálculos, tendo em vista o capital atual e mais o que será acumulado, os juros começarão a gerar o efeito bola de neve e a coisa ficará mais fácil e o aporte não terá tanto impacto. Claro que se a taxa de juros continuar caindo (o que não acredito) a coisa pode complicar um pouco..

Todavia, continuarei aportando para aumentar o bolo. 

Bom, voltando ao título do post, ainda em maio deste ano, eu havia feito um post sobre meus planos de viver com 50% do salário líquido

Era e é uma tarefa árdua, mas não impossível. 

Ao longo desse período fui ajustando as contas, quitando parcelamentos, fiz um planejamento para controlar os gastos no cartão e o aporte foi subindo aos poucos. 


Todavia apareceram imprevistos, é claro, mas o essencial é manter o foco. 

Eis que final de novembro de 2017 atingi mais de 50% de aporte do salário líquido. Na verdade cheguei nos 55%. Definitivamente, algo a ser comemorado, pois pelas minhas contas atingi um ponto de equilíbrio nas contas e conseguirei manter esse nível por um bom tempo. Na pior das hipóteses pode cair para 50% e na melhor das hipóteses chegar a 63%.

Mas para chegar nos 63% preciso quitar o financiamento imobiliário. Algo que até então não via vantagem em fazer, mas com a queda contínua dos juros, é de se avaliar.

Vejam que se passaram seis meses de planejamento e ajustes até atingir a meta que eu havia imposto. Por isso é importante foco e paciência, pois não adianta economizar 50% e no mês seguinte cair para 30% ou até mesmo 0%. 

O importante é ir fazendo ajustes até achar o ponto de equilíbrio para manter a estratégia vencedora no longo prazo para os aportes manterem-se em um patamar de continuidade ou até mesmo irem aumentando aos poucos. 

Se você nunca economizou na vida ou até economiza um pequeno percentual, não vai ser do dia para a noite que você vai passar a economizar 50, 60, 70%. É algo que você tem que ir trabalhando para poder manter a consistência depois, até porque um mudança radical de vida pode fazer-lhe mal. 

Bom, vamos aos dados. Minha situação naquela época estava assim: 


Salário 100,00%
Cartão de crédito 30,00%
Moradia (financiamento e condomínio) 12,70%
TV a cabo/Internet/Telefone 3,00%
Seguros (5 meses) 6,00%
Luz 1,00%
Cursos de línguas 2,50%
Outros – gastos diversos e não programados 6,80%
Aporte mensal para investimentos 38,00%


E aqui a situação atual:

Salário 100,00%
Cartões de crédito 17,00%
Moradia (financiamento e condomínio) 10,00%
TV a cabo/Internet/Telefone 2,60%
Reserva para seguros, IPVA, IPTU 4,00%
Luz 0,90%
Cursos 1,30%
Outros – gastos diversos 4,20%
Aporte mensal para investimentos 55,00%

Nessa soma soma ai tem 95%, pois 5% acabei deixando em conta corrente para gastos eventuais de fim de ano. Além disso, o cartão de crédito deu abaixo do previsto, pois usei menos que o usual em função da viagem. Para o próximo mês o valor com cartões de crédito possivelmente ficará nos 20%.

Definitivamente, dois fatores foram preponderantes para melhorar o poder de aporte: aumento do salário em relação ao planejamento da época e controle das contas no cartão de crédito. Poderia até acrescentar um terceiro fator: quitar todas as contas parceladas.

Conforme já postado anteriormente, os gastos do cartão eu resolvi mudar a forma de controle, usando vários cartões cada um com uma finalidade. A ideia inicial tinha ficado assim: 

CartãoItem% do salário
PetrobrásTransporte2,5
EloAlimentação – mercado e restaurantes10,5
Citi PlatinumLazer/Roupas/ Compras online3
MastercardPresentes/gastos diversos1,5
Nubank ou DigioSaúde/farmácia2,5


20

Todavia, na realidade hoje meu teto de gastos com cartão para cada item está assim: 


Cartão Item % do salário
Nubank Transporte 2,5
Elo Alimentação – mercado e restaurantes 11
Mastercard Lazer/Roupas/ Compras online Presentes/gastos diversos 4
Citi Platinum Saúde/farmácia 2,5


20

Não recebi o cartão Petrobrás então fiz uns ajustes. No próximo mês vou receber um outro cartão Visa (também sem anuidade) e devo usar no lugar do Elo. Como o Elo paga mais pontos na milhagem, vou usá-lo para pagar minhas demais contas em boleto através do mercado pago para gerar milhas. 

Enfim, ainda teria margem para economizar mais, pois poderia cortar os gastos com seguro, mas como já utilizei o seguro algumas vezes, é algo fora de cogitação. 

Também poderia cortar TV a cabo ou reduzir gastos com lazer. Todavia, como pretendo fazer da minha jornada rumo a IF algo prazeroso e entendo que é preciso viver bem ao longo dessa jornada, pretendo manter como está, pois consigo ter um bom padrão de vida. 


É isso aí galera. Um abraço!


43 comentários:

  1. Acha que bitcoin ainda vai subir ano que vêm? falam que chega em 100 mil dólares!

    Então dá pra aplicar todo o patrimônio. kkkk

    Como comprar outras moedas? Litcoin e etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon, falar qualquer um fala. Qualquer investimento de alto risco que for fazer, não faça pensando em quanto ganhar, mas sim em quanto você pode perder. Abraço!

      Excluir
  2. Finanferas, quero começar a olhar com carinho para os pontos do cartão. Algo que não tenho feito. Parabens pelo belo aporte.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sequoia. Os pontos de cartões de crédito são uma maravilha para quem sabe utilizar com consciência. Já deu para tirar algumas viagens. Quem não gosta de viajar pode vender que rende um valor nesses sites de compra e venda de milhas. Abraço!

      Excluir
  3. A forma que eu gosto de utilizar os cartões é por vencimento, logo consigo manobrar e as vezes ganhar 40, 45 dias no cartao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também é uma boa Stifler, só fica mais trabalhoso para fazer os fechamentos mensais de contas. Abraço!

      Excluir
  4. Olá FB,

    Parabéns pelo planejamento. Aportar 50% do salário não é para qualquer um.

    Bons investimentos.

    ResponderExcluir
  5. Pra quem mora com os pais e pretende fazer um "pé de meia" é quase uma obrigação aportar muito. Principalmente se os pais tiverem uma vida financeiramente mais sólida.
    Quem está nessa condição não pode bobear, tem que aportar forte, se o cara ganha entre 2 e 3k não está estudando ou estuda em faculdade pública por exemplo deve-se aportar pelos menos uns 70% do salário.

    Depois que o cara mora sozinho fica difícil aportar mais que 50%, até porque os gastos com moradia consomem boa parte do orçamento, a não ser que a pessoa ganhe de 4k pra cima e seja frugal. O que é bem possível após uma certa idade, mas ainda é pouco acessível aos mais jovens.
    Enfim desde cedo o cidadão consciente brasileiro deve ter em mente com clareza que o Brasil é um país caro pra se viver.
    Aqui tudo que vai além do básico é caro: Carros, Equipamentos de telefonia, eletrônicos e informática, imóveis, medicamentos, mensalidades de escolas/faculdades, planos de saúde, até alimentos integrais e orgânicos.
    Sendo assim quem almeja ter uma vida num padrão razoável tem que se preparar e fazer o esforço necessário.
    Ou então resta se contentar em viver de prestação em prestação até a aposentadoria. Se vier a aposentadoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente comentário Anom. Concordo contigo. Todavia, nem todos conseguem ganhar bem desde cedo e ainda por cima viver com os pais. Eu sai cedo de casa e ganhando pouco. Tive que me virar por conta. Talvez se tivesse ficado por casa hoje teria atingido a IF... ou não... pois talvez o meu caminho teria sido outro, pelo fato de morar com os pais poderia ter me acomodado e nao ter chegado onde cheguei. São n possibilidades. Mas enfim, de fato, se o cara ainda mora com os pais, dá para aportar de 70 a 80% fácil. Abraço!

      Excluir
  6. Viver com 50% dos ganhos seria um sonho. Sem dúvidas uma meta muito inteligente!

    ResponderExcluir
  7. Muito bacana seu planejamento! Ele é consistente e factível, vai fazer com que vc tenha uma boa jornada rumo a IF!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado IFM. Espero que sim, afinal, como já postei outras vezes, por mais que a IF seja uma obsessão para muitos, não podemos tornar essa jornada tortuosa, pelo bem de nossa saúde. Abraço!

      Excluir
  8. Olá Finansfera,

    Parabéns pela taxa de poupança de 50%. Mas eu tenho uma dúvida? Todos estes cartões são anuidade grátis? Eu só tenho um cartão com anuidade grátis.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos anuidade grátis Aportador. Só estou com medo do Citibank cair a anuidade agora que o Itaú comprou. Mas se algum cobrar eu cancelo na hora. Claro que, em função disso, alguns deles não tem milhagem, como o Nubank e o próprio Citibank. Abraço!

      Excluir
  9. Tá ótimo colega. Mesmo com financiamento imobiliário e ainda com TV à cabo (algo que muitos da blogosfera cortam logo) você ainda poupa 50%, então tá indo muito bem, e melhor, aproveitando hehe.

    Continua assim

    Hoje consigo poupar cerca de 16% do salário pra aportar. Ano que vem pretendo atingir 30%. Como você disse, aos poucos.

    Abraços e fica com Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato DP. Ainda tenho margem para conseguir mais. Mas já é uma excelente meta e foi necessário muitos ajustes e planejamento para atingir. Aos poucos é possível sim. Abraço!

      Excluir
  10. Parabéns .....aportar 50% não é para qualquer um. Fazendo cortes de gastos desnecessários chegamos lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Beto. Exato, tem muita coisa que dá para cortar, mas na verdade fazer um controle mensal já ajuda bastante. Abraço!

      Excluir
  11. E o fgts já usou para abater o empréstimo imobiliário?

    ResponderExcluir
  12. Olá Finansferas!

    Parabéns pelo planejamento e o atingimento da meta de aporte em 50% da renda líquida.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Fico feliz da vida quando consigo aportar mais que metade do salário. Mais recentemente eu tive alguns aumentos nos custos e isso se tornou mais difícil, mas acho que consigo voltar ao ritmo de antes.

    Admiro pra caramba o pessoal que consegue ter bem certinho os gastos mensais.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa ED, é um grande feito, mas de fato, alguns custos, quando necessários fica complicado manter o ritmo. Abraço!

      Excluir
  14. Fala Finansfera!

    Parabéns por atingir a meta! Antes de casar eu conseguia poupar até mais de 50%. Hoje casado, estou conseguindo uma média de quase 40%. Estou bem feliz com esse percentual

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma baita economia Inglês. Eu mesmo estava abaixo de 40%. Eu diria, por experiência própria, que sem planejamento é muito difícil economizar mais que 20%. Abraço!

      Excluir
  15. Fantástico conseguir viver com 50% do salário, é uma via rápida para a riqueza!

    Abraço e bons investimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu DIL. Nãoo sei se para a riqueza, mas pelo menos já é algo para sair da corrida de ratos. Abraço!

      Excluir
  16. Parabéns pelos aportes record! Como diz o Robert em seu livro, você mede o quão é rico pelo que consegue poupar todo mês e não pelo que você consome...

    ResponderExcluir
  17. Parabéns!
    Mais de 50% não é pra qualquer um...
    Esporadicamente também consigo aportar 50% dos ganhos mensais. Mas a média de 2017 foi de 30-40%.
    Uma dúvida, você disse que consegue pagar boleto com cartão de crédito? É isso mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado MM. Sim é possível. Você baixa o aplicativo do mercado pago, cadastra seu cartão de crédito e pode pagar boletos. Abraço.

      Excluir
  18. Acabei de baixar aqui!

    Como funciona? Cadastro um cartão e posso pagar qualquer boleto ou somente de empresas cadastradas?

    ResponderExcluir
  19. Serve só para as empresas cadastradas lá?
    Ou consigo pagar qualquer boleto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala MM. Eu uso para pagar contas como água, luz, telefone, condomínio. Não saberia te dizer se aceita todo tipo de boleto. Sei também que existem algumas operadoras de cartões que tem bloqueado esse tipo de operação. Esses dias tentei pagar um boleto por um cartão específico e foi rejeitado, ou seja: tem que ir testando. Abraço!

      Excluir
  20. Minha meta era chegar a 40% em 2017, bati na trave e fiquei nos 39%... pra esse ano mantenho a meta em 40%, em 2019 pretendo passar pra pelo menos 45.

    Assim como você, pretendo manter esse padrão de acumulação por mais uns 3 anos, depois posso dar uma afrouxada, sem comprometer o plano a longo prazo.

    Parabéns pelo site!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi quase Concursado, mas com disciplina dá para atingir sim. O primeiro passo é conhecer seus gastos e cortar gastos supérfluos e parcelamentos. Depois você vê que a economia vai acontecendo de forma natural. Abraço!

      Excluir
  21. Olá Finansfera. Você tem algum texto explicando essa sua ideia de "efeito bola de neve e a coisa ficará mais fácil e o aporte não terá tanto impacto". Queria entender melhor isso. Acredito que em breve terei essa oportunidade.

    Se possível me coloca em sua lista de blogs?
    https://investidoruniversitario.blogspot.com.br/

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma olhada nessa imagem, ela é autoexplicativa:

      https://drive.google.com/file/d/1jKFcMg-kLVArDwGPSey9CEjAcNJCJfSz/view?usp=sharing

      Com o passar do tempo, o retorno dos juros sobre o patrimônio acumulado vai ficando cada vez maior que o aporte.

      Imagine que vc acumulou 5kk e tem retorno de 0,5% a.m., isso representa R$ 25k por mês de juros.

      Se a pessoa aporta 10k por mês, os juros já superam o aporte em 150%. Nesse ponto, basta reaplicar os rendimentos que a "bola de neve" continua a crescer, mesmo se a pessoa optar por parar de aportar.

      Obs.: exemplo exagerado só pra ficar mais claro.

      Excluir
  22. Eu já consegui manter a taxa de poupança em 90% e quase surtei. É inviável no longo prazo!

    Para conseguir uma taxa de poupança alta obrigatoriamente não pode ter carro, não pode comer fora (levava marmita pro serviço que minha mãe fazia) e é necessário parasitar os pais, pois aluguel, condomínio e alimentação consome muito do orçamento. (não dar um mísero real pra ajudar em casa).

    Praticamente não se pode viver e o pior parasitar os coitados dos pais sem pagar uma mísera conta de luz!

    Hoje obviamente não tenho mais essa mentalidade, quando sofri um acidente de moto vi minha vida passando toda pela minha cabeça e me perguntei se era realmente aquilo que eu queria. Acumular sem aproveitar nada e sem ajudar os outros (próprios pais).

    Comecei com a meta de guardar 50% e gastar os outros 50% obrigatoriamente mas é muito difícil quando se quer um padrão de vida confortável.

    Entretanto acredito que uma média que estou agora de 30-40% seja boa.

    Hoje moro sozinho, ajudo meus pais, troquei a moto pelo carro, viajo e curto a vida sem ostentar mas sem me privar. Cozinho quase todos os dias, mas pelo menos umas 2 vezes por semana como fora.

    É importante não ter vícios, pois bebida e putas começaram a tomar 50% do meu orçamento quando despiroquei, mas consegui controlar esse vício à tempo para ele ocupar apenas uma parte pré-estabelecida do orçamento, como uma parcela do meu plano de saúde mental, como gosto de chamar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, aportar 90% é sinistro, hein. Tem que ou ganhar MUITO dinheiro ou parasitar demais os pais.

      Tbm acho que uns 30-40% já está de bom tamanho, mas tudo depende do salário.

      Se a pessoa ganha 3k e poupa 30% dá R$ 900 de aporte, o que não é muita coisa.

      Se ganha 10k e poupa 20%, já tem um aporte de 2k, o dobro daquele primeiro exemplo.

      O ideal é atacar a frente e a retaguarda: ganhar acima de 10k e aportar uns 40% pelo menos. Aí a IF vem em menos de um século! kkk

      Excluir

Comente aqui.

Abaixo você encontra os posts mais recentes da blogosfera financeira