Um dia em BERNA na Suiça

Fala pessoal. 

Aproveitando que estou em ritmo de viagem e em off, o post de hoje é sobre uma dica de turismo. Aliás, viajar é o meu ponto de equilíbrio entre os aportes e a busca pela IF, basicamente a minha válvula de escape para não enlouquecer nesta jornada. 

Bom, hoje vou apresentar para vocês nada mais nada menos que a capital de um país famoso pela sua solidez financeira: Berna, a capital administrativa da Suíça. 

Capital? Isso mesmo, declarada patrimônio mundial pela Unesco, ela é a capital político-administrativa do País.

Para quem for fazer um tour pelo país, passar um dia nessa cidade é obrigatório, ainda mais se você gosta de história e de arquitetura medieval. 



Aliás, viajar pelo interior da Suíça até chegar nas maiores cidades é sinônimo de paisagens bucólicas, campos verdes, vilarejos lindos e dependendo da região pela qual você transitar terá pela frente o toque especial que a neve traz à paisagem. 






Carro - um vilão necessário

Pelo menos no meu caso, ter um carro é um mal necessário. Isso é algo que pretendo trabalhar e melhorar, afinal há um consenso de que carro não é um ativo, mas um passivo que custa caro e deprecia. 

 Carro - um vilão necessário?
Fonte: https://autogaragem.wordpress.com/2013/03/21/personagem-da-semana-dick-vigarista/

Basta uma lida rápida pela blogosfera gringa que você vai notar que há uma unanimidade entre os blogueiros acerca da ideia que o carro é um retardador na busca pela independência financeira. Aliás, muitos blogueiros são adeptos de outros meios de transporte ou são unânimes: precisa de carro, vá de usado, preze pelo custo-benefício. 

Não vou fazer contas aqui, afinal, já há vários posts nesse sentido, mas se você quiser adotar um estilo radical na busca pela IF, substituir o carro por outro meio de transporte é algo que vai render-lhe uma boa economia.

Aqui, em terras tupiniquinis, muitos blogueiros já abordaram esse tema sob essa mesma ótica.

Remessa ao exterior de forma rápida

Então galera. 

O post de hoje não é um publieditorial, mas apenas um relato que talvez possa ajudar a tirar algumas dúvidas de quem pretende abrir uma conta para o exterior e não sabe como vai mandar o dinheiro. 

Afinal, são poucos agentes bancários que tem experiência ou trabalham diretamente com remessas ao exterior.

Quando resolvi abrir uma conta em uma corretora de valores no exterior, especificamente nos EUA, (passo a passo aqui - antes era OptionsXpress e agora é Schwab) surgiu o primeiro grande desafio: como enviar dinheiro para o exterior?


Logo de cara não me preocupei com o custo dessa transferência. Apenas queria fazer dar certo. 

A solução: fui procurar o gerente da minha conta bancária a fim de que providenciasse essa transferência.

Abaixo você encontra os posts mais recentes da blogosfera financeira